Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Entra em acção pela liberdade das pessoas LGBTIQ na Europa

lgbtiq freedom zone.png

Um webinar para acompanhar online e uma chamada à participação de todos quantos se revêem nos valores de liberdade europeus. Marca na tua agenda!

 

O Parlamento Europeu em Portugal organiza na segunda-feira, dia 8 de Março, pelas 9h30 (hora de Lisboa), um webinar sobre “União Europeia: um lugar de liberdade para pessoas LGBTIQ”. Participam no evento a eurodeputada co-presidente do Intergrupo do Parlamento Europeu sobre os direitos LGBTITerry Reintke (Verdes, Alemanha), e Miguel Chambel, coordenador do secretariado desse Intergrupo.
Moderado por Margarida David Cardoso, jornalista do Fumaça, o webinar enquadra-se na próxima sessão plenária do Parlamento Europeu, na qual os eurodeputados debatem e votam uma resolução sobre a Declaração da UE como zona de liberdade para as pessoas LGBTI.
O evento decorre na plataforma Webex, com transmissão nas redes sociais do Parlamento Europeu. A eurodeputada Terry Reintke fala em Inglês e apresenta a resolução que será debatida; Miguel Chambel fala em Português e apresentará informação complementar sobre o trabalho do Intergrupo.

A União Europeia trabalha para promover a igualdade e combater a discriminação em razão da orientação sexual, da identidade de género e das características sexuais. O seu objectivo é garantir a protecção dos direitos de todas as pessoas LGBTIQ na UE. Numa resolução adoptada em Dezembro de 2019, os eurodeputados condenaram veementemente o estabelecimento de ‘‘zonas livres de LGBTI’’ na Polónia, bem como todos os tipos de ataques contra os direitos LGBTI em outros Estados-Membros. Na próxima quarta-feira, 10 de Março, os eurodeputados devem apelar a que a UE seja uma ‘‘zona de liberdade LGBTIQ’’, em resposta às ‘‘zonas livres de LGBTI’’ na Polónia e a regressos na protecção dos direitos de pessoas LGBTI noutros Estados-Membros. Na quinta-feira, os eurodeputados votarão a resolução, enfatizando que qualquer tipo de discriminação contra as pessoas LGBTIQ é uma violação clara dos valores fundamentais europeus.

Num inquérito realizado em 2019, 76% dos europeus inquiridos eram da opinião de que as pessoas lésbicas, gays e bissexuais devem gozar dos mesmos direitos que os heterossexuais, o que representa um aumento em relação aos 71% de 2015. No entanto, as pessoas lésbicas, gays, bissexuais, transgénero e intersexuais (LGBTI) são susceptíveis de ser discriminadas em muitos aspectos, como, por exemplo, na procura de emprego, na obtenção de prestações de segurança social, na escola ou nos cuidados de saúde. Podem também ser alvo de incitações ao ódio e até de violência, e sentir que não estão em segurança no trabalho, na escola e nos espaços públicos. Em 1999, a UE adquiriu competências para agir em caso de discriminação em razão da orientação sexual e, desde então, tem adoptado legislação e tomado medidas para alargar a protecção jurídica e social conferida às pessoas LGBTI.

 

Apelo à acção nas redes sociais

Para acompanhar a Declaração da UE como zona de liberdade para as pessoas LGBTIQ, o Intergrupo do Parlamento Europeu sobre os direitos LGBTI apela às pessoas LGBTIQ, organizações, órgãos de comunicação social, influenciadores LGBTIQ, apoiantes e aliados, a aderirem ao movimento nas redes sociais. O objectivo passa por mostrar apoio à LGBTIQ Freedom Zone através de imagens de bandeiras arco-íris por toda a Europa.

 

Para participares basta publicar uma fotografia de um monumento ou paisagem conhecida, junto de uma bandeira arco-íris ou este sinal (descarregar aqui). Podes aparecer, ou não, na fotografia. (No caso de estares sem ideias, podes sempre espreitar a imagem icónica que Tilda Swinton partilhou de Moscovo há uns anos atrás).

Esta acção começa na próxima segunda-feira, 8 de Março 2021, e estima-se que termine dois dias depois. A hashtag oficial é: #LGBTIQFreedomZone

 

Em solidariedade com quem ainda não pode ser livre o dezanove.pt vai associar-se a esta iniciativa. E tu?