Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Mulher vítima de ataque transfóbico no Brasil

mask-5498470_1920.jpg

Aviso: Conteúdo potencialmente perturbador.

Roberta Nascimento Silva, uma mulher trans de 33 anos, foi vítima de uma tentativa de homicídio na madrugada desta quinta-feira, em Recife, capital do estado de Pernambuco. De acordo com a Polícia Militar de Pernambuco, o autor do crime é um adolescente.

 

Segundo se sabe, os agentes encontravam-se a realizar um patrulhamento próximo do terminal de autocarros do cais de Santa Rita, por volta da 1h30, quando foram chamados por populares devido a uma tentativa de homicídio. Chegados ao local do crime, encontraram a vítima com o corpo em chamas. O jovem, que terá ateado fogo à mulher, tentou fugir, mas acabou detido.

Segundo a Globo, no auto de polícia consta que testemunhas relataram que um homem estaria com a vítima num barraco de lona e ter-lhe-ia ateado fogo, tentando fugir de seguida. A vítima não tinha documentos e vive em situação de sem abrigo. Neste momento, encontra-se internada com cerca de 40% do corpo queimado. Está estável, mas ainda não há previsão de alta.

A codeputada (uma forma de exercício de um cargo legislativo, em que o representante se compromete a dividir o poder com um grupo de cidadãos) Robeyoncé Lima, do mandato colectivo Juntas, deslocou-se, esta sexta-feira, ao hospital para falar com a mulher, que está com queimaduras de terceiro grau da cintura para cima. A vítima relatou à codeputada que o ataque foi por “questões de preconceito e discriminação (…) LGBTfobia com relação a identidade de género e orientação sexual dela". 

 

Numa mensagem publicada no Twitter, o presidente da câmara de Recife, João Campos, afirmou: “Determinei à nossa Sec. Desenv. Social que seja feito o acompanhamento e dada a assistência necessária à mulher trans vítima de queimaduras, na última madrugada, no Cais de Santa Rita. O que aconteceu é intolerável, atinge a todos e todas nós, comprometidos com a causa dos direitos humanos e do enfrentamento à qualquer tipo de violência e preconceito.”

 

Depois da mensagem, o prefeito foi acusado de tentar amenizar o caso. Várias pessoas referiram que é importante tratar o caso como realmente é: um crime transfóbico. Uma utilizadora referiu ainda que “vítima de queimaduras é eufemismo, vítima de tentativa de HOMICÍDIO no CENTRO DA CIDADE!”

Uma utilizadora da mesma rede social, chamou também atenção para o facto da vítima estar a ser tratada na ala masculina e, relativamente a este aspecto, tal como se pode ler no Paraíba Feminina, “de acordo com a assessoria de imprensa do Hospital da Restauração, a vítima ter-se-ia identificado pelo nome masculino e por esse motivo, encontra-se internada na Ala Masculina de queimados”.

 

De facto, este tipo de crime não se trata de um acto isolado. O Brasil é dos países com mais mortes de pessoas LGBTI+, tendo contabilizado 175 vidas perdidas, em 2020. No que diz respeito ao estado de Pernambuco e, segundo a Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, até Maio de 2021, 13 pessoas da população LGBTQIA+ foram vítimas de “Crime Violento Letal Intencional”.

Para além disso, o governo de Pernambuco também registou 1.106 ocorrências de violência contra cidadãos que se identificam como LGBTQIA+, nomeadamente crimes como maus-tratos, violação, lesões corporais, difamação, calúnia e racismo.

 

Notícia actualizada com o nome e idade corrigida da vítima a 26 de Junho. 

 

Sara Lemos

 

Lista de contactos úteis e de apoio às pessoas LGBTI em Portugal:

 
 
 
 
 
Ver esta publicação no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação partilhada por dezanove.pt (@dezanovept)

 

1 comentário

Comentar