Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Passadeiras arco-íris são uma realidade em Lisboa. Ficam em Campolide

60170331_2196144580469643_2136897876465287168_n.jp

A Junta de Freguesia de Campolide, em Lisboa, decidiu pintar na madrugada de 13 de Maio duas passadeiras com as cores LGBT. Situam-se na Rua de Campolide e na Travessa Estevão Pinto.

“Hoje, pela primeira vez, Lisboa acordou com passadeiras com padrão arco-íris. Foi uma forma de Campolide se colocar ao lado de todos os movimentos LGBT que lutam pela igualdade e não discriminação, assim como de todos os movimentos que lutam pela igualdade e não discriminação em função de género, raça, religião e idade”, apontou André Couto, presidente da Junta de Freguesia, na sua página de Facebook. “Os eleitos do CDS-PP de Arroios trouxeram esta acção a público, com uma proposta fantástica, que não se concretizou por ficar presa em questões menores. Os combates pela igualdade e não discriminação têm de ser centrais na sociedade e não podem ser prejudicados, porque quem sofre não o compreenderia. A reflexão e a acção sobre estas questões são o desafio que Campolide deixa a Lisboa e ao País”, refere a mesma nota.

Recorde-se que na freguesia de Arroios, também no concelho de Lisboa, o CDS-PP apresentou uma proposta, aprovada por unanimidade pela Assembleia da Freguesia para pintar duas passadeiras com as cores da bandeira LGBTI. A iniciativa deu origem a uma crise política no CDS local e a Margarida Martins, presidente da Junta, admitiu que a iniciativa de pintar as passadeiras com outras cores seria “ilegal”. Tanto Margarida Martins como André Couto foram eleitos em listas do PS.