Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Simone de Oliveira distinguida por comunidade LGBTI portuguesa

Desfolhada Simone de Oliveira.jpg

Simone de Oliveira é a terceira personalidade distinguida com o Prémio Internacional Artes Cénicas Finalmente Club.

Depois de Herman José e Rossy de Palma, o júri da 3.ª edição do evento decidiu distinguir a personalidade que melhor representa a importância do colectivo na construção dos conceitos de Memória / Identidade na Cultura Portuguesa. A cantora estreou-se em Janeiro de 1958, no primeiro Festival da Canção Portuguesa. A partir daí foi sempre a somar. Simone de Oliveira foi granjeada com inúmeros prémios: na televisão, na rádio, de imprensa. Em 1965 representa Portugal na Eurovisão, em Nápoles, com "Sol de Inverno". Quatro anos depois alcança o seu maior êxito: Vence o Festival RTP da Canção, com o tema "Desfolhada Portuguesa", da autoria de José Carlos Ary dos Santos e Nuno Nazareth Fernandes, com orquestração do maestro Joaquim Luís Gomes e direcção de orquestra por Ferrer Trindade.

Na Eurovisão ficou em penúltimo lugar, com apenas 4 pontos, mesmo sendo umas das favoritas dessa edição realizada em Espanha. No dia anterior ao evento Simone de Oliveira e uma das coristas foram parar ao hospital devido a uma intoxicação alimentar. Chegou-se mesmo a falar em sabotagem numa altura em que a letra da canção foi bastante criticada. Um dos momentos incontornáveis da carreira de Simone foi a manifestação de apoio à intérprete na estação de Santa Apolónia. Quando Simone chegou, vinda de Madrid, foi recebida em festa pelos milhares de populares, na maior recepção a um artista português jamais feita em Portugal, só repetida pela recepção a Salvador e Luísa Sobral em 2017, quando Portugal venceu a Eurovisão.

Com 80 anos de idade e 60 anos de carreira Simone de Oliveira "continua a cantar, a interpretar, a deslumbrar, a encher o palco levando com ela músicos primorosos, compositores de excepção, letristas imortais e poetas" faz saber o júri composto por 11 figuras da sociedade portuguesa. A saber: José António Marquina (director-geral do Finalmente Club), Paulo Jorge Pereira (advogado), Fernando Santos aka Deborah Krystall (director artístico do Finalmente Club), Ana Rita Clara (apresentadora de tv), Hélder Freire Costa (director-geral do Teatro Maria Vitória), Paula Cosme Pinto (blogger “A vida de saltos altos”), Carlos Sanches Ruivo (presidente da Variações), João MacDonald (editor executivo da Revista UP!), Carla Madeira (presidente da Junta de Freguesia da Misericórdia), Luís Lobo Alves aka Xana (gerente do Finalmente Club) e Ulika da Paixão Franco (CEO da agência de comunicação UPF Comunicação e Relações Públicas).

A cerimónia de entrega do troféu está marcada para dia 21 de Novembro, no Finalmente Club. Na mesma data estreia sob direcção artística de Fernando Santos, o espectáculo de homenagem a Simone de Oliveira. E não é coincidência, a data calha no  Dia Mundial da Televisão.