Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Oficial: Portugal de fora do Europride 2022. Belgrado foi melhor

Belgrade Europride 2022 Serbia Beograd

O resultado da votação dos membros presentes na Assembleia da EPOA (European Pride Organisers Association) reunida em Bilbao acaba de ser conhecido: a 30ª edição do Europride será em Belgrado, na Sérvia.

 

Portugal disputava a organização do Europride 2022 com Espanha, Sérvia e Irlanda. Belgrado obteve 71% dos votos. Portugal ficou em segundo lugar com 22% dos votos. Dublin reuniu 6% das intenções e Barcelona apenas 1%. 

A candidatura portuguesa era levada a cabo pelas associações ILGA Portugal, rede ex aequo e Variações. Portugal competia para receber as celebrações do Pride em 2022 com as cidades de Barcelona, Belgrado e Dublin. Inicialmente Maspalomas entrou na corrida, mas não conseguiu avançar com a candidatura.

 

Um historial de luta contra a violência com quase 20 anos

Recorde-se que Belgrado tem vindo a avançar muito pouco nos direitos LGBTI. Em 2001, ano do primeiro pride, houve graves confrontos entre manifestantes de extrema-direita e activistas LGBTI.  Em 2010 o Pride de Belgrado foi manchado pela violência que, através dos media, chegou aos quatro cantos do mundo. 

A discriminação contra os homossexuais está bastante enraizada na Sérvia. Uma das exigências que Bruxelas faz a este país para entrar na União Europeia é, por exemplo, aumentar a protecção dos direitos humanos das pessoas LGBTI. O Europride poderá assim ajudar a melhorar a situação dos sérvios LGBTI. As melhorias dos Direitos LGBTI na Sérvia são ainda tímidas. Um dos recentes sinais foi a nomeação da primeira-ministra Ana Brnabić, a primeira mulher e a primeira pessoa assumidamente homossexual a ocupar o cargo

 

A candidatura portuguesa

Portugal com o mote “Beyond Proud” apresentava um programa de seis dias em duas cidades: Porto e Lisboa. O Europride 2022 realizar-se-ia iniciando com uma “Conferência pelos Direitos Humanos” no Porto. Uma semana antes a rede ex aequo organizararia ainda um encontro dirigido aos jovens LGBTI. Ambos eventos seriam de entrada livre. Depois seria montada uma EuroPride Village em Lisboa. Estava ainda prevista uma marcha que atravessaria a Avenida da Liberdade e terminaria na Praça do Comércio. Ao longo dos seis dias haveria oportunidade para visitar várias exposições, participar em vários workshops sobre questões LGBTI e nos festivais Queer Lisboa e Pitch Beach que iriam fazer coincidir as suas datas com o Europride.

A LUSA avança que a candidatura portuguesa tinha um orçamento total de 888 mil euros, sendo que 250 mil euros vinham de patrocínios, donativos e merchandising. O Turismo de Portugal contribuiria com 150 mil euros.

Há  exactamente uma semana realizava-se o Porto Pride, um evento agora organizado pela associação Variações, e que encheu a Praça D. João I no passado Sábado, e que mostrou a capacidade organizativa de Portugal para este tipo de eventos.

Recorde-se que a candidatura portuguesa foi anunciada em Janeiro deste ano e contou gradualmente com o apoio de inúmeras individualidades e associações LGBTI. Até Marcelo Rebelo de Sousa recebeu as associações que promoveram a candidatura portuguesa, apesar de ter vetado a Lei de Identidade de Género um ano antes.  Ainda no âmbito da candidatura ao Europride 2022 foram enviadas delegações portuguesas aos Prides de Madrid, Viena, Dublin e ao World Pride de Nova Iorque. 

Aquele que é considerado o maior evento de celebração do orgulho LGBTI na Europa poderá movimentar entre 500 mil e um milhão de pessoas. Será agora organizado em Belgrado.

 

Fotos: Beograde Pride

 

1 comentário

Comentar