Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

“Gostaria de ter sido uma menina. Nasci um menino” (com vídeo)

Kiki Pais de Sousa - Já Melhorou.JPG

A frase pertence a Kiki Pais de Sousa, uma mulher transexual portuguesa. 

Num testemunho em vídeo, Kiki aborda a sua infância, o bullying de que foi vítima, a sua carreira como modelo andrógino, a relação com a família e por que decidiu realizar a cirurgia de retribuição sexual.

 

A proprietária da primeira sauna mista do país partilhou a sua história de vida com a audiência da websérie “Já Melhorou”, que tem vindo a entrevistar figuras conhecidas da comunidade LGBTI portuguesa.

No vídeo Kiki Pais de Sousa diz que a sua família, embora tradicional, a aceitou: “Agradeço aos pais que tive por nunca me castrarem, nem me condicionarem. O meu pai era comerciante de automóveis e todos os dias trazia-me uma miniatura de um carrinho, mas [ele] também sabia o meu lado feminino. Eu gostava de bonecas e principalmente de vestir as roupas da mãe, das minhas tias. De tudo o que pertence ao universo feminino”.

Foi durante a adolescência, enquanto estudava no Liceu Camões, em Lisboa, que Kiki passou pela pior fase da sua vida sem perceber o porquê: “Apesar de bem-comportado, eram muito cruéis comigo. Fiquei muitas vezes doente. Tinha medo de ir para o liceu”. Foram o bullying e a violência verbal que a levaram abandonar os estudos no 11º ano e a sair do país para trabalhar como manequim andrógino.

Kiki explica que, ao longo de vários anos, viveu “revoltado” e “asfixiado” com a sua identidade de género. Na altura a legislação existente não lhe oferecia segurança. Só em 2011, motivada pela aprovação da lei de identidade de género em Portugal, Kiki decide mudar de identidade no registo civil, avançar com o tratamento hormonal e iniciar as operações cirúrgicas. Nos últimos cinco anos submeteu-se a cinco cirurgias, uma delas com uma duração de 10 horas.

“Conheço inúmeros homens que gostariam de ter tido a força e a coragem que eu tive. Esses homens gostam de vestir com roupas femininas e de se maquilhar. Eu ajudo-os porque é a forma de eles se libertarem” refere Kiki Pais de Sousa, que agora assume plenamente a sua transexualidade.

Kiki Pais de Sousa com a Mãe.jpg

Hoje os motivos de orgulho de Kiki passam pelo apoio e amor da mãe - que com 83 anos a acompanhou em todo este processo - e por de ter tido “a força, coragem e determinação” de concretizar o seu sonho.

A série online Já Melhorou, uma produção da associação Tudo Vai Melhorar e ByronProduções, já contou com os testemunhos do deputado Alexandre Quintanilha, Andreo Gustavo ou de Edie Lapöre. Os próximos dois episódios terão como convidados a DJ Mariana de Carvalho e o ex-concorrente da Casa dos Segredos Lourenço Ódin Cunha. O objectivo da websérie é dar a conhecer histórias de felicidade e sucesso em Portugal.

 

 

 

 

 

 

 

 

O testemunho de força, coragem e determinação de Kiki Pais de Sousa pode ser visto na íntegra aqui:

 

1 comentário

Comentar