Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Acompanha aqui o #orgulho2017

Uma homenagem a Xavier Jugelé que entra para a História (com vídeo)

 

 

etienne.jpg

Xavier Jugelé, 37 anos, polícia em Paris, foi assassinado em serviço no passado dia 21 de Abril, na sequência de um ataque terrorista. O seu marido, Etienne Cardiles, fez um discurso emocionado nas cerimónias fúnebres oficiais, que contaram com a presença do presidente francês, François Hollande, e dos dois candidatos à presidência, Marine Le Pen e Emmanuel Macron, entre outras individualidades.

 

"Sofro sem ódio. Não terão o meu ódio como resposta ao terrorismo", declarou Etienne no discurso.

Esta frase já antes tinha sido proferida, por uma viúva de uma das vítimas do ataque terrorista ao Bataclan em 2015. Por coincidência, Xavier Jugelé foi um dos primeiros agentes a chegar ao local desse atentado. Antes disso, durante o verão de 2015, fez parte de uma força policial de apoio aos refugiados na Grécia.

Xavier Jugelé foi um herói do dia-a-dia, como tantos que há, que decidiu lutar por um mundo melhor e mais justo independentemente da orientação sexual. Jugelé, era activista e membro da FLAG (Associação de Polícias e Guardas LGBT da França, semelhante em Portugal ao Grupo de Trabalho XY da PSP). Para muitos é só mais um caso triste e lamentável de terrorismo, para outros ajudou a demonstrar que a orientação sexual, para mais debaixo de uma farda onde todos são ainda mais iguais, não interfere nem define quem são os heróis do dia a dia, são só pessoas.

Xavier Jugelé foi promovido, a título póstumo, a capitão. O marido contará com o apoio económico decorrente desta morte em funções. Tal só acontece porque em França é, desde 2013, permitido o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

 

 

João Pedro Ferreira

2 comentários

Comentar