Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Publicidade

Como foram os protestos de Lisboa e Porto pela defesa dos direitos LGBT na Tchetchénia (com vídeo e fotos)

 pjimage (23).jpg

Isabel Moreira, Sofia Aparício, Rui Maria Pêgo, Manuel Moreira, Ricardo Robles, João Pedro Vale e Pedro Faro foram algumas das figuras públicas e políticos que se juntaram às cerca de duas centenas de pessoas que protestaram esta terça-feira, ao fim da tarde, em frente à Embaixada da Rússia em Lisboa. À mesma hora, no Porto, os manifestantes concentraram-se junto ao edifício onde está situado o gabinete do cônsul honorário da Rússia, na Avenida da Boavista.

"Contra a opressão, libertação", "A nossa luta é todo o dia, contra o racismo e a homofobia", "LGBT! E não finja que não vê!”, "Eu beijo homem, beijo mulher, tenho de direito de beijar quem eu quiser!" foram algumas das frases de protesto ouvidas a algumas dezenas de metros da embaixada. Recorde-se que as autoridades tchetchenas estão a utilizar uma antiga base militar como campo de concentração onde haverá mais de 100 homens gays detidos e que estão a ser torturados sistematicamente para revelar nomes de outras pessoas LGBT da região.

Associações como a Opus Gay, UMAR, a rede ex aequo, Por Todas Nós ou a associação de estudantes da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa juntaram-se ao protesto convocado pelo colectivo Um Activismo por Dia. A norte, o protesto foi dinamizado pela organização da Marcha do Orgulho LGBT do Porto. Aí os manifestantes aproveitaram o momento para deixar mensagens na caixa de correio do cônsul.

No Funchal o protesto terá lugar este Sábado, 22 de Abril, entre as 10 e as 13 horas, na Avenida Arriaga, entre a Igreja da Sé e o Café Teatro. A iniciativa é organizada pela rede ex aequo, Mad Le’s Femme, Guirandana Feminista e Força de Estudantes da Madeira.

 

Vê as fotos do protesto em Lisboa aqui e as do Porto aqui