Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dezanove
A Saber

As notícias de Portugal e do Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

Las Chicas del Cable: A série que te pode estar a escapar e que tens de ver o quanto antes

Las-Chicas-del-Cable-4ª-temporada.jpg

“Las Chicas del Cable”, em português “As Telefonistas”, é uma série original da Netflix e a primeira a ser produzida em Espanha. Foi lançada em 2017 e ao longo de cinco temporadas vai tratando de temas como o feminismo, a homossexualidade e a transexualidade.

Passada nos finais dos anos 20 conta a história de cinco amigas que, vindas de sítios diferentes e com histórias de vida distintas, vão trabalhar como telefonistas numa empresa de telecomunicações com um sonho em comum: a procura da sua independência.

Porém, esta não foi uma tarefa fácil dado que, naquela época, as mulheres “eram essencialmente vistas como acessórios a serem exibidos” e pouca ou nenhuma liberdade de expressão tinham. Ser mulher naquela época não era fácil e estas cinco amigas vão vivendo diariamente as consequências do que é viver numa sociedade maioritariamente machista e opressora.

Conta com a participação de Blanca Suárez, Ana Fernández, Nadia de Santiago, Ana Polvorosa, Yon González, Maggie Civantos, Martiño Rivas, entre outros. Actores e actrizes já conhecidos de séries como “O Barco”, “Os Protegidos”, “Vis a Vis” e “O Colégio da Lagoa Negra”.

São as personagens “Carlota”, interpretada por Ana Fernández, e “Sara/Óscar”, interpretada por Ana Polvorosa, que protagonizam a narrativa queer e trans da série e que dão assim visibilidade à comunidade LGBT+. Elas vivem um romance impossível para aquela altura e no qual passam por muitas situações que põem à prova o seu amor.

las chicas del cable.jpg

Uma série importante com temas actuais que nos prende desde o primeiro episódio e que nos deixa rendidos à amizade, à luta e ao crescimento destas cinco personagens que simbolizam todas as mulheres que são vítimas desta discriminação e que não tiveram ou têm a oportunidade de ter uma voz na sociedade.

Margarida Candeias