Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

Em Portugal e no Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

LGBTI+: A análise ao programa eleitoral do PAN (Pessoas-Animais-Natureza)

Postal com Tipografia para Feliz Aniversário (15).jpg

Foi o último programa eleitoral a ser apresentado. Foi apenas a 17 de Fevereiro que o Partido PAN (Pessoas - Animais - Natureza) revelou os conteúdos do programa que gostaria de implementar no país.

Ao longo de 178 páginas podemos encontrar várias referências às pessoas LGBTI+. O partido alerta ainda que "a falta de novos avanços que levou a que no ano passado Portugal caísse pelo segundo ano consecutivo no ranking dos países europeus sobre direitos das pessoas LGBTI+, ficando em 11.º lugar."

LGBTI+: Contrato com o futuro, análise ao programa eleitoral do Livre

Postal com Tipografia para Feliz Aniversário (12).jpg

O Livre trata as questões LGBTQIA+ em vários capítulos do seu programa, dedicados ao trabalho e protecção laboral, à educação e à política externa. Atribui-lhes ainda uma atenção central na primeira secção do texto, “Igualdade, Justiça Social e Liberdade”. 

LGBTI+: Programa eleitoral do Chega: Limpar Portugal

Postal com Tipografia para Feliz Aniversário (11).jpg

O programa eleitoral do Chega, partido que se assume como nacional, conservador, liberal e personalista, no espectro da extrema-direita europeia, partilhou o seu programa eleitoral no passado dia 9 de Fevereiro, um mês antes das eleições legislativas de 2024.

LGBTI+: Política patriótica e de esquerda – Soluções para um Portugal com futuro segundo a CDU

Postal com Tipografia para Feliz Aniversário (8).jpg

No quadro das eleições legislativas de 10 de Março de 2024, a Coligação Democrática Unitária, formada pelo Partido Comunista Português (PCP) e pelo Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), apresenta o programa eleitoral da PCP, coligação que se apresenta como tomando “a força dos Valores de Abril” (p. 4) e apontando os mesmos para o futuro de Portugal, afirmando que um Portugal com futuro encontra respostas na Constituição “para mudar de política, dar vida e retomar Abril” (p. 4), oferecendo uma política patriótica e de esquerda.

“Direitos LGBT não destroem famílias. O preconceito sim”: José Gusmão leva Estratégia Europeia para a Igualdade LGBTQI+ ao Parlamento Europeu

josé gusmão

Na passada quinta-feira, dia 8 de Fevereiro, foi votado e adoptado o Relatório de Implementação da “Estratégia Europeia para a Igualdade LGBTQI 2020-2025” do Parlamento Europeu.

 

LGBTI+: Um olhar sobre o programa eleitoral da Aliança Democrática (AD)

Postal com Tipografia para Feliz Aniversário (6).jpg

A Aliança Democrática (AD) resultou de um acordo de coligação entre o Partido Social Democrata (PSD), o CDS-Partido Popular (CDS-PP) e do Partido Popular Monárquico (PPM), contando igualmente com um conjunto de personalidades independentes. Formada para concorrer às próximas eleições legislativas e europeias, a coligação de centro-direita afirma como seu objectivo “superar e vencer este ciclo de oito anos de governação socialista” (Acordo de Coligação, p. 1).

Eleições Legislativas 2024: os programas políticos e as pessoas LGBTI+

Postal com Tipografia para Feliz Aniversário (3) (1).jpg

Votar de forma informada nas  próximas Eleições Legislativas de 10 de Março é decisivo para o nosso bem-estar e salvaguarda de direitos já adquiridos e que protegem as pessoas LGBTI+. 

Política de cancelamento

cancelled-5250908_1280.png

Diogo Faro, muito activo nas suas redes sociais, nomeadamente no que diz respeito aos direitos das minorias, partilhou na sua conta de Instagram, a 6 de Janeiro, uma história sobre Miguel Milhão, o fundador da Prozis – homem que já se manifestou contra o direito à IVG (Interrupção Voluntária da Gravidez), que criticou a Vodafone por apresentar uma campanha publicitária que abordava a homossexualidade e que é manifestamente contra o socialismo, muito embora tenha recebido 18,5 milhões euros de fundos públicos.

 

 

Brasil: Direitos de casais LGBTI+ (quase) por um fio 

pexels-slaytina-2725458.jpg

Numa tarde de terça-feira, especificamente a 10 de Outubro às 15h43, surge uma nova actualização na Folha de São Paulo com o título “Projeto lei que busca proibir casamento homoafetivo avança na Câmara”. 

 

Rede de organizações  LGBTIQ+ da CPLP é criada em Luanda 

foto 1 (1).jpeg

Luanda é cada vez mais a cidade onde as coisas acontecem. A capital de Angola recebeu o primeiro encontro das Organizações LGBTIQ+ dos Países de Expressão Portuguesa Sul-Sul sobre Direitos Humanos, Integração Sociopolítica e Cultural. Esta conferência que decorreu nos dias 19 e 20 de Outubro,  numa parceria entre organizações locais como a AIA - Arquivo de Identidade Angolana em parceria com com a Universidade Jaguelónica de Cracóvia e o Grupo de pesquisadores composto pelo antropólogo Ruy Blanes (da universidade portuguesa ISCTE-IUL), Natália Zawiejska e com apoio do PNUD - Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento.

 

 

A paz, o pão, saúde, educação, habitação: desafios e conquistas da luta LGBTQIA+ em 2023 

WhatsApp Image 2023-10-16 at 17.45.17.jpeg

O título é de uma famosa música de intervenção de Sérgio Godinho. Editada em 1974, fruto  da revolução democrática dos cravos, Liberdade, é não só o nome de uma longínqua cantiga, referência de uma luta antiga, mas, na ordem do dia, labuta do movimento  LGBTQIA+ português.  

Eleições em Espanha: Sanchez resiste com resultado inesperado e PP fica aquém das sondagens. Extrema-direita mantém-se, para já, longe do governo

felgbt

A noite começou com o PP a cantar vitória após serem divulgadas as primeiras sondagens e se perspectivar uma possível maioria absoluta para o bloco de direita. Mas a contagem dos votos não veio confirmar essas expectativas e a comunidade LGBTI+ espanhola pôde dormir descansada: não acordariam no dia seguinte com Santiago Abascal, do Vox, como vice-presidente do governo.

 

Itália elimina mães não biológicas das certidões de nascimento

pexels-bruno-mendes-12791826 (1).jpg

Esta semana acordámos para o pesadelo que se vive em Itália, país que voltou a ter um governo fascista, algo que não acontecia desde a II Guerra Mundial. A primeira-ministra Giorgia Meloni diz seguir «valores tradicionais» e tem visado as famílias LGBTQ+, bem como os imigrantes.