Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dezanove
A Saber

Em Portugal e no Mundo

A Fazer

Boas ideias para dentro e fora de casa

A Cuidar

As melhores dicas para uma vida ‘cool’ e saudável

A Ver

As imagens e os vídeos do momento

Praia 19

Nem na mata se encontram histórias assim

A dissonância do assédio: o abuso sexual na indústria musical

imagem 1  (2).jpg

 A cantora Britânica Raye na imagem

Na indústria musical, a relação entre artistas femininas e produtores muitas vezes esconde histórias dolorosas e perturbadoras de assédio sexual. Os casos emblemáticos de artistas como Kesha, Lady Gaga e Raye lançaram luz sobre um problema profundamente enraizado: o abuso de poder e as práticas predatórias por parte de alguns produtores, transformando estúdios de gravação em locais de vulnerabilidade para as artistas.

 

 

Entrevistámos a Ana Pedro Fidalgo e a Liliana Marques, co-fundadoras do O Teu Lugar

o teu lugar lgbt

A Ana é Psicóloga Clínica e atende adultos de todas as idades, adolescentes e casais, e é especializada em relacionamentos e sexologia clínica.

A Liliana é Psicóloga Clínica e da Saúde e acompanha Adultos e Adolescentes, e é especializada em psicoterapia EMDR (sigla de Eye Movement Desensitization and Reprocessing, que significa dessensibilização e reprocessamento através do movimento ocular) pela AEMDR Portugal.

Através desta entrevista vamos conhecer melhor a Ana Pedro Fidalgo e a Liliana Marques, assim como o espaço e o projecto O Teu Lugar.

 

Interligar corações e identidades: Aplicações para conhecer pessoas LGBTI+

pedro perdigão falcão.png

Vivemos na era digital e a maneira como nos relacionamos e nos ligamos com os outros foi transformada pelas Aplicações existentes e plataformas de média social.

Para a comunidade LGBTI+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgéneros, Intersexuais e outros), estas ferramentas desempenham um papel significativo na procura de amizades, apoio e até mesmo de relacionamentos.

 

 

Instaterapia

confissões.jpg

Nos últimos anos assistimos a um aumento na facilidade com que as pessoas falam acerca da sua saúde mental. Sem dúvida alguma, isso constitui um enorme avanço na forma como aceitamos a neurodiversidade alheia (e também a nossa), e permite-nos interagir com os outros de uma forma mais empática e que toma em consideração os sacos invisíveis que carregamos connosco.

 

 

De volta

confissões.jpg

Foi-me difícil retomar a escrita. Provavelmente não deveria ter parado de forma tão abrupta como parei (com a excepção do meu diário que, a seu tempo, partilharei de forma altamente editada), uma vez que isso torna a retoma muito mais complicada, mas não deu. Os meses que separam esta e a última crónica foram marcados por uma lesão desportiva mal curada; uma situação de aproveitamento emocional e objectificação por parte de mais um narcisista, uma completa deterioração da minha situação de habitação partilhada e consequente procura de um sítio novo para viver neste ambiente que todos conhecemos tão bem; e, finalmente e com toda a certeza bem embrulhadinha neste lamaçal todo, uma depressão clínica.

 

 

"Coisas de Loucos: O que eles deixaram no manicómio" de Catarina Gomes

coisas de loucos

«Coisas de Loucos», publicado pela Tinta da China em 2020 e já numa segunda edição, é uma obra em que, habilmente, Catarina Gomes resgata do esquecimento alguns dos doentes do primeiro hospital psiquiátrico a abrir e fechar portas no país, o Hospital Miguel Bombarda ou, como outrora conhecido, o Hospital Rilhafoles, Manicómio e/ou Asilo Miguel Bombarda (1848-2011). 

“P.R., darling!!!! Places, people, concepts!”

gay trintão

No seguimento da crónica anterior, esta semana decidi reflectir um pouco acerca de uma série e de um filme que estrearam no final do ano passado. A série está no Netflix e chama-se Smiley e o filme é o Bros que recebeu imensa publicidade por ser a primeira comédia romântica gay lançada por um estúdio mainstream.

 

 

Estas são as 5 principais tendências sexuais para 2023

Megwyn-White Satisfyer

Megwyn White, Directora de Educação da Satisfyer e sexóloga clínica, aponta as tendências que podemos esperar para este ano.
Janeiro é um mês de mudanças e reflexões. O começo de um novo ano convida-nos a olhar para trás e analisar o que funcionou e o que não correu tão bem, com o objectivo de prever o que os próximos meses podem trazer. 
Quando se trata de relações e bem-estar sexual, sexo sensorial, brinquedos sexuais que se podem usar (que são invisíveis em outfits do dia-a-dia), e novas formas de desfrutar de sexo anal têm sido algumas das tendências de 2022, mas quais serão as tendências de 2023? 
 

Papéis de género e masculinidade tóxica: por uma comunidade gay menos misógina, excludente e opressora

luís lopes pinheiro masculinidade tóxica

Expressão e papéis de género é um assunto bastante discutido actualmente, mas que, infelizmente, ainda causa muita confusão. Neste artigo vou tentar, brevemente, clarificar esse assunto e trazer algumas notas para posterior reflexão.
 
 

"A Campânula de Vidro" de Sylvia Plath 

 campânula de vidro

The Bell Jar ou, na versão portuguesa, "A Campânula de Vidro", editado pela primeira  vez em 1963, em Inglaterra, é o único, ainda que polémico, romance de Sylvia Plath.  Assinado com o pseudónimo de Victoria Lucas, este romance mostra um estilo único de  expressão literária pela combinação ficcional e autobiográfica dos episódios e  personagens narradas.

 

Meet and Greet

confissões gay trintão.png

O tempo voa! Esta é a minha 12ª crónica, o que quer dizer já ando nisto há cerca de três meses e isso faz da minha relação com vocês, leitores, a coisa mais estável e duradoura que me aconteceu desde que cheguei a Lisboa. Obrigado… acho eu…

 

 

O que é feito dos nossos idosos LGBTI?

idosos lgbti

É um facto inquestionável que todos envelhecemos. Paradoxalmente, esta sociedade, cada vez mais envelhecida, discrimina os idosos. Considerando ainda o pouco respeito pela diversidade sexual e afectiva, as pessoas idosas LGBTI estão no epicentro de várias formas de discriminação.

 

Quando é que as apps viraram caixas de comentários de tablóides?

grindr bullying online

Antes da crónica, vai um aviso que este texto pode conter linguagem que alguns de vocês poderão achar triggering, mas eu acho que é fundamental falarmos acerca destas coisas.